O que prevalece agora

 O que prevalece agora é essa maneira nova de sentir a vida. Essa perspectiva que me faz admirar, incansáveis vezes, antigas preciosidades. Essa vontade de bendizer tantas maravilhas. Esse sentimento de gratidão pelas coisas mais simples que existem. Esse canal que escolho assistir com mais frequência. Esse jeito mais amigo de ouvir meu coração. O que prevalece agora é essa apreciação mais desperta, que me permite reinaugurar flores e céus e pessoas no meu olhar. Essa graça que encontro, de graça, nos detalhes mais singelos. Essa vontade de contribuir. Esse desejo de brincar de roda. O que prevalece agora é a confortável suposição de que, por trás de tantas e habituais nuvens, esse contentamento faz parte da nossa natureza perene. Os problemas, os desafios, as limitações, não deixaram de existir. Deixaram apenas de ocupar o espaço todo.

Ana Jácomo

Anúncios

Você é isso…

 

Você é isso, possui o poder de transformar-me com um simples toque, um simples beijo. Você é isso, estrela, luz a irradiar momentos de paixão. Você é isso, beleza ímpar como a imensidão do mar azul e revolto que com suas ondas que despertam sonhos e sensações deliciosas. Você é isso, possui o dom de prender-me com carícias que me levam longe. Você é isso, carinhoso, consegue extrair da minha boca suspiros,falta de ar. Você é isso, verdadeira recompensa de um amor sem fim, é uma nuvem calma a passar no céu de meu coração. Você é isso, mistura de sentimentos, onde o carinho, o desejo e a paixão se unificam tornando-se um único e o maior deles, o amor. Você é isso, verdadeiro turbilhão de emoções a quem me entrego total e irrestritamente, sem receios, apenas e tão somente me entrego. Você é isso, uma imensidão de ternura, razão maior de meu viver, o aconchego e a paz do meu amor.

Meu coração voltou a bater na frequência dos meus sonhos

Andei por muito tempo à procura de remanso para as águas do meu existir. Quietação para este peito que não só batia, sangrava vez por outra. Busquei retiro para esta alma que desesperada e inquieta borbulhava na amplidão da noite. E recolhimento para estes olhos que entre abertos só vislumbrava estreiteza. Sossego para este corpo que combateu diuturnamente as desventuras. E harmonia para o existir, para o continuar… prosseguir. Foram tantos os embates… Persisti, resisti, perseverei todos os instantes, estremeci com o inesperado, e atemorizei-me com o volúvel, exalei pelos poros… medo das derrotas e a decepção dos fracassos, destilei pela pele o suor da duvida e transpirei a incerteza do talvez. Mas, andei por muito tempo à procura… e encontrei-me em mim mesmo. Planeei minhas sutis batalhas, entranhei na própria essência e voltei a me encontrar. Passei a transitar com a minha verdade, e desfilar com o que tenho de autêntico. Fiquei tão eu… que as vezes de singular encontro-me no plural, e em metamorfose reinvento-me em todas as manifestações de amor. O meu coração voltou a bater na frequência dos meus sonhos, voltei a me encontrar.
E ter coragem de ser feliz.

(Ari Mota)

Te amo além do amor, além da vida!

O que sinto por ti luz no meu caminho, é a força que me guia. Tua é a mão que me sustenta; em tuas palavras meu conforto; nos teus gemidos meu desejos. És meu porto-seguro, sentimento que nasceu do encontro de nossos olhos. Tua razão em minha vida vai além dessa distância sofrida, além do encaixar perfeito de nossos corpos. Tua alma é metade da minha, meus versos são para os teus versos; minha boca para os teus beijos; meu corpo para teu desejo. Te amo além do amor, além da vida!

(Anna Carvalho)

A mulher é mesmo impressionante…

Mesmo brava, é linda.
Mesmo alegre, chora.Mesmo tímida, comemora.
Mesmo apaixonada, ignora.Mesmo frágil, é poderosa.
Canção das Mulheres – Lya Luft
Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais. Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta. Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor. Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso. Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso poder fazer tolices tantas vezes. Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais. Que o outro sinta quanto me dói a ideia da perda, e ouse ficar comigo um pouco – em lugar de voltar logo à sua vida. Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo ”Olha que estou tendo muita paciência com você!” Que quando sem querer eu digo uma coisa bem inadequada diante de mais pessoas, o outro não me exponha nem me ridicularize. Que se eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire. Que o outro não me considere sempre disponível, sempre necessariamente compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso. Que, finalmente, o outro entenda que mesmo se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa: vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa – uma mulher.

 

Um olhar…

Às vezes basta um olhar para dizer o que as palavras já não conseguem expressar. Um olhar suave e doce que banha a nossa alma com o bálsamo da paz. Um olhar de um justo que não condena, que não aponta erros, que não classifica pessoas… Um olhar que cura as dores e cicatriza a ferida que ainda sangra. Um olhar que desenha no horizonte das nossas incertezas o real e mais profundo significado da Palavra AMOR. Um Olhar que se instala no coração da gente que sinceramente o busca. Um olhar que compreende, aceita e perdoa. Um olhar ensopado de VIDA e de ESPERANÇA.
Almaísa Brito 2011

Mulher

Meu nome é MULHER
No princípio eu era a Eva
Nascida para a felicidade de Adão
E meu paraíso tornou-se trevas
Porque ousei libertação.
Mais tarde fui Maria
Meu pecado redimiria
Dando à luz aquele que traria a salvação
Mas isso não bastaria
Para eu encontrar perdão.
Passei a ser Amélia
A mulher de verdade
Para a sociedade
Não tinha a menor vaidade
Mas sonhava com a igualdade.
Muito tempo depois decidi:
Não dá mais!
Quero minha dignidade
Tenho meus ideais!
Hoje não sou só esposa ou filha
Sou pai, mãe, arrimo de família
Sou caminhoneira, taxista, piloto de avião
Policial feminina, operária em construção.
Ao mundo peço licença
Para atuar onde quiser
Meu sobrenome é Competência
O meu nome é Mulher!
FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER!

Há momentos na vida


Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém

que o que mais queremos é tirar esta pessoa de nossos sonhos e
abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.

Vá para onde você queira ir.

Seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vida

e nela só temos uma chance de fazer aquilo que queremos.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.

Dificuldades para fazê-la forte.

Tristeza para fazê-la humana.

E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas.

Elas sabem fazer o melhor das oportunidades

que aparecem em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.

Para aqueles que se machucam.

Para aqueles que buscam e tentam sempre.

E para aqueles que reconhecem a importância

das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante é baseado num passado intensamente
vivido.

Você só terá sucesso na vida quando perdoar

os erros e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar duram uma
eternidade.

A vida não é de se brincar porque em um belo dia se morre.

Clarice
Lispector

Certezas

Não quero alguém que morra de amor por mim…

Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.

Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.

Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim.

Nem que eu faça a falta que elas me fazem,

o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível… e que esse momento será inesquecível.

Só quero que meu sentimento seja valorizado.

Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre.

E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.

Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém…

E poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.

Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho.

Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona,

que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento… e não brinque com ele.

E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.

Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe.

Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem Humildade e Paz.

Quero poder acreditar que, mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia,

e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas.

Que a esperança nunca me pareça um “não” que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como “sim”.

Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa,

de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros.
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão

Que o Amor existe, que vale a pena se doar às Amizades e às pessoas,

que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim

E que valeu a pena!

 

                                                                Mário Quintana

Eu…

Olhar

Eu sou lúcida na minha loucura, permanente na minha inconstância, inquieta na minha comodidade.
Pinto a realidade com alguns sonhos, e transformo alguns sonhos em cenas reais.
Choro lágrimas de rir e quando choro pra valer não derramo uma lágrima.
Amo mais do que posso e, por medo, sempre menos do que sou capaz.
Busco pelo prazer da paisagem e raramente pela alegre frustração da chegada.
Quando me entrego, me atiro e quando recuo não volto mais.
Mas não me leve a sério, sei que nada é definitivo.
Nem eu sou o que penso que eu sou.
Nem nós o que a gente pensa que tem.
Prefiro as noites porque me nutrem na insônia, embora os dias me iluminem quando nasce o sol.
Trabalho sem salário e não entendo de economizar. Nem de energia.
Esbanjo-me até quando não devo e, vezes sem conta, devo mais do que ganho.
(…)
Quando é impossível, debocho. Quando é permitido, duvido.
Não bebo porque só me aceito sóbria, fumo pra enganar a ansiedade e não aposto em jogo de cartas marcadas.
Penso mais do que falo. E falo muito, nem sempre o que você quer saber. Eu sei.
(…)
Se você perceber qualquer tipo de constrangimento, não repare, eu não tenho pudores mas, não raro, sofro de timidez.
E note bem: não sou agressiva, mas defensiva.
Impaciente onde você vê ousadia.
Falta de coragem onde você pensa que é sensatez.

Mas mesmo assim, sempre pinta um momento qualquer
em que eu esqueço todos os conselhos e sigo por caminhos escuros.
Estranhos desertos.
E, ignorando todas as regras, todas as armadilhas dessa vida urbana, dessa violência cotidiana, se você me assalta, eu reajo.

Martha Medeiros

Pedaços de Mim

Eu sou feita de sonhos interrompidos, detalhes despercebidos, amores mal resolvidos.

Sou feita de choros sem ter razão, pessoas no coração, atos por impulsão.

Sinto falta de lugares que não conheci, experiências que não vivi, momentos que já esqueci.

Eu sou Amor e Carinho constante, distraída até o bastante, não paro por instante.

Já tive noites mal dormidas, perdi pessoas muito queridas, cumpri coisas não-prometidas.

Muitas vezes eu desisti sem mesmo tentar, pensei em fugir, para não enfrentar, sorri para não chorar.

Eu sinto pelas coisas que não mudei, amizades que não cultivei, aqueles que eu julguei, coisas que eu falei.

Tenho saudade de pessoas que fui conhecendo, lembranças que fui esquecendo, amigos que acabei perdendo…

Mas continuo vivendo e aprendendo.

Martha Medeiros, jornalista e escritora brasileira.
Imagem1

Ausência

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar teus olhos que são doces.

Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.

No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida

E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.

Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado.

Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados

Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada

Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado.

Eu deixarei… Tu irás e encostarás a tua face em outra face.

Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada.

Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite.

Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa.

Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço.

E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.

Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos.

Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir.

E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.

Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz perenizada.   

(Martha Medeiros, jornalista e escritora brasileira)

 

Eu sei que vou te amar… Para ouvir acesse: http://www.youtube.com/watch?v=lTqq9aSac9w

recomeco-thumb

Chuva

Olho e vejo a chuva
Caindo de leve
Ocultando tudo lá fora.
Fecho os olhos e
Imagino o sorriso no teu rosto.
Imagino o sabor de um beijo
Molhado como chuva.
Abrigo-me em ti.
Penso se renasci neste dia vago
Como em tantos outros dias vagos
Onde pensei que morri,
Em noites inventadas de nada
E que o nada é teu rosto
Surgindo numa paisagem de nevoeiro.
Não me importa que seja a chuva,
O nevoeiro,
O vento ou a madrugada,
Não me importa
Que seja a noite,
Quero sim,
É que algo te traga.

chuva (2)

(Nelson Lourenço)

 

%d blogueiros gostam disto: